02 junho 2004

A água & os Rios: poemas



Ei-la enferma, esta água do rio.
Lá no alto dos arroios,
vermelhos de lama e lodo,
os peixes se refugiam.
O homem barbudo passa,
esse homem branco.
Passa dentro da canoa
de remos estrepitosos
que as serpentes abocanham.


Poema dos Índios piaroa

Tradução: Júlio Henriques
Fonte: Júlio Henriques, Modas & Bordados d'Alice Corinde, Fenda Editora
Para mais imagens e informação: Piaroa (em italiano)



MELOPÉIA

Sob o luar escorre o longo rio
Sobre o longo rio escorre cansada a lua
Sob o luar no longo rio escorre a canoa pro mar

Pela canalta
Pelo pradalto
escorre com a lua que escorre a canoa pro mar
Assim são parceiros pro mar a canoa a lua e o homem
Por que escorrem a lua e o homem ambos mansos pro mar


(tradução de Philippe Humblé e Walter Costa)
Fonte


Para ler sobre a água no BioTerra 1; 2.

1 comentário:

Joao Soares disse...

Muito belos os poemas.
E os gaurda-rios e os salgueiros...espaços estamos a gaurdar mem´rias e a viver com mais harmonia.
Obrigada pelo comentário ( tive uns problemas técnicos, q serão resolvidos brevemente)
Abraços